• Ricardo Rochman

Aproveitem, pois o custo do capital de giro vem caindo

Atualizado: 1 de jul. de 2020

Nos últimos 12 meses a taxa SELIC já caiu mais de 50%, por alguns motivos como a reforma da previdência, os esforços do Ministério da Economia para melhorar a situação fiscal do governo, e (infelizmente) a crise deflagrada pela pandemia do novo Coronavírus.


Isso fez com que o custo (taxa) médio das linhas de crédito voltadas para financiar capital de giro (para pessoas jurídicas e com prazo de até 365 dias) atingisse em maio de 2020 o seu menor valor, 10,41% ao ano, na série histórica iniciada em 2013. Ao mesmo tempo, o prazo médio dessas operações aumentou aproximadamente 70% em relação a média do mesmo período, atingindo 6,65 meses em maio de 2020.


Em outras palavras, há mais crédito para capital de giro no sistema financeiro brasileiro, com custo menor e prazo maior, e cabe aos gestores e empreendedores aproveitarem o momento para refinanciar suas operações, e captar novos na preparação para a reabertura da economia que vem ocorrendo aos poucos nos estados.


O gráfico a seguir, elaborado a partir de dados do Banco Central, mostra a evolução do custo do capital de giro e seu prazo médio. A macro usada para fazer o gráfico está disponível na seção de programação deste site.


Clique no gráfico para ver as taxas e prazos.



Esperamos que com o final da pandemia (pedimos que seja o mais breve possível) a redução do custo de capital de giro e o aumento do prazo permaneçam, pois a nossa economia precisará de fôlego para se recuperar. Mas isso dependerá de ajustes nos gastos do governo, e colaboração dos grandes bancos.


#capitaldegiro #financascorporativas #financasempresariais #pme


39 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo