• Ricardo Rochman

eSports não pararam com a quarentena

Durante a pandemia os esportes ficaram em quarentena, mas os eSports não pararam e muito pelo contrário, cresceram! eSports tem várias definições, uma simples e preferida por mim é de se tratar de competição esportiva usando video games. É uma atividade fascinante e promissora para o mundo dos negócios.


Não entrarei na discussão se eSports é esporte, mas se xadrez é considerado esporte então na minha opinião eSports é esporte. Os canais tradicionais de esportes possuem programas de eSports há algum tempo, até porque há sim grande complementaridade entre esportes e eSports (afinal quem não gosta de jogar basquete como Michael Jordan ou Lebron James), o que gera grande faturamento para ambos, outro exemplo é que grandes equipes de futebol já tem seus times de eSports (https://www.fcbarcelona.com/en/club/news/1645563/barca-esports-keep-going#), e jogadores profissionais de futebol patrocinam equipes de eSports (https://www.m10esports.com/en/about).


Aliás quantos não compraram "cadeira de gamers" (mesmo não tendo video game em casa) durante a pandemia para organizar seu home office? E quantos não compraram video game ou começaram a jogar online com outras pessoas?


Os jovens de hoje crescerão e continuarão jogando, assistindo e consumindo jogos de consoles e nas redes sociais especializadas, como por exemplo a Twitch (https://www.twitch.tv/), por isso a audiência do setor tende a crescer continuamente a taxa de 10 a 12% ao ano conforme https://newzoo.com/key-numbers/.



Aliás a audência e usuários não são compostas só por jovens, mas também por aposentados (adoram ver competições) e trabalhadores na ativa que assistem e jogam para se divertir. A pandemia fez aumentar o interesse por video games, e o crescimento desse mercado impulsiona outros como de móveis, computadores especializados, processadores (chips), acessórios (mouse, teclado, fones de ouvido etc.).


As consoles de video games permitem aplicativos de streaming de videos e outros, por isso quem tem uma console não precisa de outros equipamentos, ou seja, para ter entretenimento completo em casa só precisa comprar um monitor, uma console de video game e um provedor de internet.


Esqueça TV a cabo, Apple TV (pelo menos até ele tiver poder computacional para rodar os jogos como de PC, PlayStation ou Xbox) e similares. Futuramente jogaremos na nuvem (cloud) e aí a conexão internet é que será essencial mesmo (3 tipos de ações para comprar para o futuro: provedores de cloud, provedores de internet, e produtores de video games).


A média audiência da Twitch em abril de 2020 (pico da pandemia no mundo) foi quase o dobro da média de 2019, conforme o site https://twitchtracker.com/statistics



Já existem times sendo financiados por investidores, e no futuro teremos corporações, fundos e títulos de investimento disponíveis para investir em times de eSports, remunerados pela premiação que recebem em competições, por exemplo. A legislação no Brasil terá que ser elaborada, pois envolve crianças e adolescentes nos times, jogando em horário noturno e madrugada por algumas horas. Mas em outros lugares os times estão virando organizações como https://www.cloud9.gg/ e o https://www.teamliquid.com/, que está na liderança de ganhos conforme o https://www.esportsearnings.com/teams


Hoje já é possível investir em ações e ETFs de empresas do setor produtoras de jogos como a Activision Blizzard e a Eletronic Arts; bem como fabricantes de consoles e outras empresas do setor. No futuro teremos novas alternativas de investimento e carreiras, já imagino conversas como: "- Filho, você quer ser jogador de futebol quando crescer? - Não pai, quero ser de CS:GO."



#videogame #esports #investimentoalternativo


27 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo