• Ricardo Rochman

A famosa LIBOR já era, não está na hora de acabar com a Taxa DI?

Antes de argumentar pelo fim da Taxa DI (taxa dos depósitos interfinanceiros), e enterrar de vez o "CDI" (que já foi praticamente extinto mas insistem em falar sobre ele), lembro que a famosa taxa LIBOR (London Interbank Offered Rate) está com os dias contados, devido ao seu descolamento da realidade do mercado e ao escândalo de manipulação de 2012, que envolveu alguns dos bancos que forneciam dados para formação da taxa.


A LIBOR é especificada em diferentes moedas e prazos, sendo que a maioria das taxas cessará de ser usada até 31/12/2021, e as denominadas em dólares dos Estados Unidos terminarão até 30/06/2023, pois há atualmente aproximadamente US$214 trilhões de contratos derivativos que se referenciam a LIBOR ainda no mercado (esse valor cairá praticamente 2/3 em 2023). (https://www.newyorkfed.org/medialibrary/Microsites/arrc/files/2021/USD-LIBOR-transition-progress-report-mar-21.pdf)


Os países estão escolhendo suas taxas substitutas para LIBOR, nos EUA a selecionada foi a Secured Overnight Financing Rate (SOFR) publicada diariamente pelo New York Fed (https://www.newyorkfed.org/medialibrary/Microsites/arrc/files/2021/users-guide-to-sofr2021-update.pdf), e baseada nas operações compromissadas de títulos do Tesouro dos EUA no mercado overnight, ou seja, algo BEM parecido com a formação da taxa SELIC no Brasil.


Mas a Taxa DI tem algum problema? Na realidade não, a Taxa DI não sofre (nem sofreu) os problemas que a LIBOR encarou, mas seu estoque (DI Flutuante) na B3 é pequeno, aproximadamente 6% (em 02/06/2021) do volume financeiro de negócios com operações compromissadas com a taxa SELIC (se somar todo estoque de DI chegaremos algo perto de 15% do volume de compromissadas da SELIC).


Além disso, desde 01/10/2018 a taxa DI é igual a taxa SELIC, e se olharmos desde 1998 até 2021 a taxa SELIC é em média aproximadamente 0,08 pontos percentuais superior a taxa DI, mas se tomarmos os últimos 5 anos findos em 02/06/2021 então a SELIC foi em média 0,007 pontos percentuais acima da taxa DI. No gráfico a seguir vemos a evolução das taxas SELIC, DI e a diferença entre as taxas SELIC e DI.



Resumindo, por que manter a taxa DI se o volume financeiro de Depósitos Interfinanceiros não é representativo para o mercado e a diferença entre a taxa DI e a SELIC é zero nos anos mais recentes (além das 2 taxas sempre serem próximas)?


O único motivo são os contratos e títulos que se referenciam a taxa DI, que precisariam de alguma mudança na legislação para garantir e autorizar a mudança automática das taxas, pois de fato (entre nós) a DI já ficou para história. Falta o mercado se mobilizar para dar um fim a taxa DI e facilitar a vida de todos ficando só com a SELIC.



#SELIC #taxaDI #DI


176 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo